terça-feira, 15 de abril de 2014

Dissertação sobre trabalho e mortalidade infantil

  • ·         Introdução: Qual é o fato? 
    • Alta taxa de trabalho e mortalidade infantil
  • ·         Desenvolvimento: Quais as causas e consequências do fato? 
    • Causas: família pobre, sem instrução, com pouca renda.
    • Consequências: êxodo escolar, falta de acesso a serviços básicos, ciclo contínuo.
  • ·         Conclusão: Qual a solução? 
    • Investimento em educação generalizada. Desde os pais até as crianças.


Atualmente no Brasil são altas as taxas de mortalidade e trabalho infantil. Estudos recentes apontam taxa de 3,6% de mortalidade das crianças até um ano de idade e 4,5% até os cinco anos. Isso deixa o Brasil em nada mais nada menos que o 105º numa lista de 190 países em relação à taxa de mortalidade infantil (Folha de S. Paulo, 2009). Em relação à distribuição de renda os índices também não são animadores; levantamentos da ONU indicam que 40% da população ganha o equivalente a 8% do PIB nacional enquanto 20% fatura 64% do produto interno bruto.
E não é difícil associar a taxa de mortalidade e trabalho infantil à pobreza. Das 21 milhões de crianças que se encontram em estado de pobreza entre zero e dezessete anos, ao menos 2,9 milhões delas trabalham para complementar a renda familiar e isso acaba levando ao êxodo escolar. Em relação à distribuição de renda, o Brasil está em 95º lugar numa lista de 96 países, ficando atrás apenas de Serra Leoa – país considerado o mais pobre do mundo pela ONU. E é nesse ciclo contínuo de família sempre pobre, pessoas sempre sem acesso aos recursos básicos como saúde e educação, que se instala um ciclo contínuo de pobreza, mortalidade e trabalho.

Para quebrar esse ciclo é preciso mais do que programas sociais como o Bolsa Família e maiores investimentos na saúde. É preciso a integração entre pais e filhos num ambiente escolar, proporcionando instrução não apenas aos mais novos, mas também aos pais das crianças submetidas ao trabalho. A conscientização se deve fazer através dos pais para que eles incentivem os filhos a manterem-se na escola em busca de um futuro melhor.

Nenhum comentário: